sábado, 08 de agosto de 2020
Facebook Instagram Twitter Youtube E-mail
48 3191-0403
Tubarão
25 ºC 11 ºC
Variedades
06/07/2020 23h00

Aliar trabalho e filhos continua mais difícil para mulheres do que homens

Pesquisa mapeou as experiências dos profissionais ao conciliar carreira e filhos na pandemia do novo coronavírus
Aliar trabalho e filhos continua mais difícil para mulheres do que homens
A pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2), causador da síndrome respiratória covid-19, está mudando a vida de todos. Com o distanciamento social, as dinâmicas de trabalho se alteram, e, consequentemente toda a rotina das famílias.

 

A consultoria Filhos no Currículo, em parceria com o Movimento Mulher 360, realizou uma pesquisa, entre abril e junho, para mapear as expectativas e a experiência de profissionais ao conciliar carreira e filhos antes, durante e depois da pandemia. Foram ouvidos 825 pais e mães (sendo 80,33% mães, por maior interesse delas em responder a pesquisa) com filhos de 5 anos em média.


Antes


Entre os entrevistados, um terço nunca fazia home office antes da pandemia porque a função (33,91%), o gestor (32,62%) ou a cultura da empresa (14%) não permitia. E 57% dos que iam até o trabalho levavam, em média, de 30 a 60 minutos de deslocamento. Dos 44% de respondentes que faziam home office de forma estruturada, 25% o praticavam uma vez por semana.


Mesmo durante o trabalho em casa, 84,47% dos pais e mães tinham algum tipo de suporte antes da pandemia, sendo a escola ou creche em 62% dos casos.

PUBLICIDADE

Durante


Agora, durante a pandemia, cresce o número de entrevistados que trabalham em casa, chegando a 89% deles em tempo integral.


A disparidade de gênero continua evidente num cenário no qual é preciso conciliar o trabalho com o cuidado das crianças. Enquanto 50% dos homens considera fácil conciliar filhos e carreira, apenas 33% das mulheres afirmar o mesmo.


“É preciso transformar a mentalidade de que cuidar dos filhos é uma responsabilidade exclusiva da mulher, engajar as empresas e a sociedade para essa discussão”, afirma Margareth Goldenberg, gestora executiva do Movimento Mulher 360.


Como mostra a reportagem de capa de Exame desta quinzena, o modo cultural como o trabalho doméstico é dividido entre homens e mulheres parece impactar apenas o microuniverso familiar, mas o Fundo Monetário Internacional estima que o produto interno bruto global cresceria pelo menos 4% se o trabalho não remunerado fosse mais bem distribuído.


Já a organização ONU Mulheres ressalta que triplica o número de trabalhos não remunerados para mulheres no isolamento social. Este dado é corroborado pela pesquisa na maneira diferente como pais e mães percebem o impacto da pandemia na gestão de seus papéis.


Foto: g-stockstudio/Thinkstock.

Fonte: Exame.


HC Notícias
48 3191-0403
48 9 8806-3734
Rua Altamiro Guimarães, 50
88701-300 - Centro - Tubarão/SC
Hora Certa Notícias © 2019. Todos os direitos reservados.
Demand Tecnologia