quarta, 26 de janeiro de 2022
Facebook Instagram Twitter Youtube E-mail
48 3191-0403
Segurança
03/12/2021 20h22

Jovem encontrada na Praia do Sol cavou a própria cova, afirma suspeito

Delegado que investiga o caso também disse que Amanda Albach mandou um áudio para a família já no local do crime
Jovem encontrada na Praia do Sol cavou a própria cova, afirma suspeito
Novas informações foram divulgadas pela Polícia Civil de Laguna sobre o assassinato da jovem de 21 anos, Amanda Albach, que estava desaparecida desde 15 de novembro. O corpo da jovem foi encontrado nesta sexta-feira (3) na Praia do Sol, no limite entre os municípios de Laguna e Imbituba.

Três pessoas tiveram a prisão decretada em razão da investigação, realizada em conjunto pela Divisão de Investigação Criminal (DIC/PCSC) de Laguna, e a Delegacia de Polícia de Imbituba. Também houve apoio da Polícia Civil do Rio Grande do Sul, por meio da Divisão de Homicídios de Canoas (RS).

PUBLICIDADE
Os trabalhos da Polícia Civil fizeram parte da Operação Redenção, que começou na quinta-feira (2), com a prisão dos três suspeitos na cidade de Canoas, região metropolitana de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. Os presos foram trazidos para Laguna, onde prestaram depoimento.

Em entrevista coletiva na tarde desta sexta-feira, os Delegados responsáveis pelo caso detalharam as informações obtidas pelos investigados. “Uma suspeita já residiu na mesma cidade em Fazenda Rio Grande (PR) com a Amanda pelo menos até os 19 anos. Seu vínculo ligou a vinda da Amanda até a residência dos suspeitos. O vínculo principal seria ela. A razão pela qual a Amanda teria vindo para cá teria sido para comemorar o aniversário dessa pessoa que já possuía um vínculo com ela”, explica o Delegado da DIC de Laguna, Bruno Fernandes.

PUBLICIDADE
A motivação

A morte de Amanda ocorreu por volta das 21h ou 22h do dia 15 de novembro. Em depoimento o suspeito explicou o que teria motivado a morte da vítima. “Preliminarmente, um dos investigados se sentiu incomodado, porque percebeu que a Amanda teria contado para terceiras pessoas que ele seria envolvido com tráfico de drogas e teria mostrado uma foto de uma arma que ele teria em casa para essas pessoas. Nesse contexto ele não gostou dessa situação e foi o motivo pelo qual ele optou em tirar a vida dela”, conta Fernandes.


A morte

Através do depoimento do investigado, o delegado Bruno conta que a vítima enviou um áudio para a família já no local do crime e ainda foi coagida a cavar a própria cova. “A vítima encaminhou um áudio para a família dizendo que retornaria no dia seguinte de Uber. A família suspeitou que a voz dela estava um tanto estranha, com um vento por trás. Segundo o investigado ela já estava na companhia dele no local do crime. Ele coagiu ela a andar com uma pá e cavar a própria cova, deu os disparos e ela caiu. Depois ele tapou de novo e saiu”, comenta.

As investigações continuam por mais 30 dias para averiguar todos os detalhes do crime.


HC Notícias
48 3191-0403
48 9 8806-3734
Rua Altamiro Guimarães, 50
88701-300 - Centro - Tubarão/SC
Hora Certa Notícias © 2019. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.