terça, 23 de julho de 2024
Facebook Instagram Twitter Youtube TikTok E-mail
48 3191-0403
Segurança
20/06/2024 08h49

Operação da Polícia Civil investiga desvio de verbas em Pescaria Brava e bloqueia R$1,7 mi de ex-prefeito

Ex-prefeito e empresa se associaram para superfaturar contratos e desviar verbas para remunerar apadrinhados políticos e cabos eleitorais
Operação da Polícia Civil investiga desvio de verbas em Pescaria Brava e bloqueia R$1,7 mi de ex-prefeito

A Polícia Civil de Santa Catarina deflagrou nesta quinta-feira (20) a Operação “Exspiravit”, que possui o objetivo de apurar desvio de rendas públicas e outras fraudes orquestradas no âmbito de contratos administrativos celebrados entre o município de Pescaria Brava e uma empresa sediada em Laguna. Investigação é conduzida pela DIC de Laguna.

 

Clique AQUI e entre no nosso grupo no WhatsApp!

 

De acordo com as apurações, entre os anos de 2020 a 2022, um ex-agente político do município de Pescaria Brava teria se associado com um empresário vencedor de diversas licitações daquele município, com empresa sediada em Laguna, para o específico fim de desviarem rendas públicas de Pescaria Brava, as quais deveriam ser efetivamente empregadas no pagamento de trabalhadores afetos às Secretarias da Educação e de Obras.

De acordo com o Portal Agora Laguna, o agente investigado seria o ex-prefeito Deyvisonn de Souza (MDB), que renunciou ao mandato em julho do ano passado. A empresa-alvo seria a Magapavi Construtora. 
 

PUBLICIDADE

Ao que observado, o objetivo desses desvios era remunerar diversos apadrinhados políticos e cabos eleitorais desse ex-agente político, medida essa que vinha sendo realizada por intermédio dessa empresa investigada.

 

Ainda, constatou-se não só o efetivo desvio de rendas públicas, como também o superfaturamento desses contratos administrativos, os quais chegavam a remunerar até 50% a mais dos serviços efetivamente prestados.

 

A título de exemplo, observou-se, ainda, que pagamentos realizados por Pescaria Brava eram endereçados até mesmo ao pai de um vereador da cidade de Joinville, que raramente vinha, a lazer, para o município de Pescaria Brava.

PUBLICIDADE

A deflagração da “Operação Exspiravit”, que contou com a participação de policiais civis das Delegacias de Polícia de Imbituba, Pescaria Brava, DIC de Tubarão e Labatorário de Lavagem de Dinheiro – núcleo Sul, é a 4ª fase da operação policial deflagrada no bojo dessas apurações, e teve o objetivo de efetivar o cumprimento de 08 (oito) ordens judiciais, consistentes em mandados de busca e apreensão e de sequestro de bens dos investigados na importância de R$1.708.405,92 (um milhão, setecentos e oito mil, quatrocentos e cinco reais e noventa e dois centavos).

 

A primeira delas restou executada em novembro de 2023, tendo como alvo a Prefeitura de Pescaria Brava. A segunda delas restou deflagrada em janeiro, tendo como alvo imóveis do município de Joinville. A terceira fase, e que culminou na expedição de 20 mandados de busca e apreensão, restou executada nos municípios de Laguna, Pescaria Brava e Criciúma. 

 

Da operação “Exspiravit” restaram sequestrados, ainda, 05 (cinco) veículos automotores, e mais outros dois imóveis, localizados nas cidades de Tubarão e Laguna.

 

A alusão a “Exspiravit”, que em latim significa fantasma, tem relação justamente com a utilização de diversos funcionários fantasmas para a concretização do desvio de rendas públicas, as quais, desviadas das Secretarias de Saúde e Obras, eram endereçadas a fins eminentemente espúrios e particulares.


HC Notícias
48 3191-0403
48 9 8806-3734
Rua Altamiro Guimarães, 50
88701-300 - Centro - Tubarão/SC
Hora Certa Notícias © 2019. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.